quarta-feira, agosto 27, 2014


Uma questão de costume

0
O nome da postagem também poderia ser ‘Nunca diga nunca’. Não fui uma garotinha muito vaidosa, acho que minha mãe insistia tanto nessa questão, que ao invés de gostar, eu tomei aversão ao exagero, sendo assim, não fui muito menininha.
Me lembro que na adolescência as minhas amigas tinham milhares de brilhos labiais, sombras e eu detestava tudo aquilo, odiava batom e por mais que no fundo eu me sentisse um pouco excluída, não insistia em mudar meu gosto pessoal.Com o tempo tomei gosto por usar lápis preto nos olhos, não me lembro bem quando isso aconteceu, mas raramente saio de casa sem lápis e quando saio uso meu óculos de grau pra disfarçar ou óculos escuro, mas nada além disso.
Eu não julgava quem gostasse de se maquiar, como minhas amigas, na verdade, eu até admirava, achava bonita aquela vaidade, aquela preocupação em sempre estar arrumada, até achava elegante, mas, aquilo não era pra mim.
Também nunca andei por aí largada, desgrenhada, mas eu sempre priorizei a simplicidade e a naturalidade das coisas, aí eu falhava, não entendia que poderia andar maquiada de forma natural. Com o tempo comprei maquiagens básicas como base, pó compacto, blush e rímel, na verdade, já tinha pelo menos dois desses itens, mas, literalmente esquecidos.
Eu me desafiei a usá-los todos os dias para trabalhar e ir a passeios, o resultado é que hoje não me sinto bem sem usá-los, principalmente para trabalhar, me dá uma sensação de desleixo. Não é questão de não aceitar a minha naturalidade ou minhas imperfeições, na verdade, me apaixonei pelo rosto uniforme e sem sardas no nariz. Ainda assim, não uso maquiagem em casa, às vezes tenho a impressão de que a pele precisa respirar...
O meu maior desafio foi usar batom, pra falar a verdade, nunca tinha usado. Sempre achei que o batom dava um ‘tchan’ alegre no rosto, mas eu mesmo não aguentava aquela sensação de que tinha algo na boca, não gostava mesmo.
Até que um dia comecei a testar alguns batons e de início eu achava o negócio mais estranho do universo, até o meu marido no início estranhou. E aí um dia resolvi comprar e ser fiel a duas cores que eu sabia que caía bem em mim, boca e vermelho mate. Ainda sou bem basiquinha, mas tenho me preparado para usar outras cores e estou descobrindo o que fica bem em mim.

A dica é nunca dizer nunca e variar às vezes não significa que você deixou de ser você, não perdeu a sua essência. Testar coisas novas, deixar o dia mais colorido ou usar algo que te deixe mais feliz e se sentindo mais bonita, não é ruim. Ame-se e se dê novas oportunidades! 
Batom Mate Vermelhíssimo - Quem disse, Berenice?
Batom Coco Queimado linha Intense - O Boticário



quarta-feira, agosto 20, 2014


COMO SER INFELIZ NO INVERNO

0
Não tenho nada contra o inverno, na verdade, é a estação climática que eu mais gosto, porém, nessa época precisamos ter alguns cuidados a mais, cuidados que eu não tive e acabei tendo alguns probleminhas.

- NÃO TOMAR ÁGUA
Aqui em Brasília o inverno vem recheado com seca, isso faz com que você necessite de muita água e eu sou péssima pra isso. Acho engraçado que a copeira do meu serviço sempre fala ‘ Renata, seu copo ainda está cheio’. O resultado disso é pele muito ressecada e pigarro, muito pigarro.
- NÃO USAR COLÍRIO
Não sei vocês, mas meus olhos ressecam muito e meu colírio acabou assim que o inverno começou. Drástico, né? Pois é! Esse foi um dos meus desleixos, então fiquei com os meus olhos vermelhos a maior parte do tempo, coçando, ardendo e grudando.
- NÃO USAR HIDRATANTES ADEQUADOS
Eu nunca deixo de usar hidratante, apesar da minha pele não ser seca, mas quando chega o inverno a minha pele resseca geral, nunca vi isso na vida. Não comprei no início da estação, mas depois de um mês sofrendo e com as pernas começando a rachar, eu acabei comprando o creme da Nívea para pele seca ou extrasseca, sério, esse creme salvou a minha vida.
- LAVAR O ROSTO COM SABONETE ADSTRINGENTE
Eu uso sabonete de Aroeira que é natural. Depois de muitos anos de vida, agora que eu notei que meu rosto é misto e não completamente oleoso, o inverno chegou e eu continuei usando o sabonete no meu rosto, resultado: as laterais da minha testa descascaram meu queixo e as laterais do meu rosto também. Quando usava maquiagem ficava uó e pela primeira vez comecei a usar creme na face.
- NÃO COMER DIREITO
Tenho me alimentado muito mal, retirei os alimentos que contém lactose, que me causam alguns problemas e simplesmente não acrescentei nada na alimentação. Tenho sentido cansaço todos os dias, sonolência, não durmo direito a noite e não tenho disposição pra nada na vida. Confesso que é muito tenso, como eu acredito que tudo provém da alimentação, boa ou ruim, se eu me alimentasse de forma nutritiva de verdade, provavelmente eu não estaria assim.
- NÃO CUIDAR DAS ALERGIAS
Engraçado que eu cuido de todo mundo, menos de mim. Cuido da minha filha o tempo inteiro (óbvio), cuido do meu marido, ambos são alérgicos, menos de mim. Só nesse período de inverno eu fiquei com sinusite 2x, rinite 3x e uma gripe. Resumindo, passei o inverno inteiro doente.
Enquanto eu limpava o nariz da minha filha com soro, dava mel com limão pra ela tomar, lavava todos os ursinhos, limpava a casa, trocava lençóis... Eu sequer comprei um casado descente pra usar nesse inverno e não foi por falta de dinheiro. Tomei líquido gelado, saí no frio, fiquei com o nariz entupido e tosse diariamente.
- NÃO USAR PROTETOR LABIAL
Parece bobagem, mas não é. Um dia acordei e meus lábios estavam sangrando, com duas grandes rachaduras. Isso porque o protetor labial fica no meu quarto, meu marido usa, eu passo na Cecília e durmo sem. Palmas pra mim!

E o inverno ainda não acabou...

Tudo que aconteceu não foi por querer passar por uma experiência no inverno, pra saber como meu corpo iria reagir se não me cuidasse, tudo isso aconteceu porque eu não tenho me cuidado como deveria, não tenho me dado a atenção necessária e por achar que não tenho tempo pra mais nada na vida.

Também tirei coisas boas do inverno: bota nova (amo), não tive queda de pressão arterial e consciência do quanto eu tenho me descuidado da saúde. É muito nítido o reflexo disso no meu corpo, tenho sonolência o dia inteiro, emagreci, estou mais nervosa e indisposta.

Esse é o último semestre da faculdade, tenho tanto trabalho pra fazer que faltam horas no meu dia. Tenho aula aos sábados, tenho orientação de TCC, tenho casa, tenho um zilhão de coisas... Só falta encaixar o meu próprio ser nas prioridades.

Recado: Cuide muito de si. Se você não tiver saúde e disposição, não conseguirá fazer mais nada do que quer e planeja. Olhe pra você e pense: Eu sou mais precioso que o carro que tenho que lavar, a roupa que quero comprar e mais importante que a saída do sábado a noite. Cuide-se!